Mãe sim, mas também esposa


As mamães chamadas de marinheiras de primeira viagem são aquelas que ainda não aprenderam a lidar com a rotina de um bebê em suas vidas. Com tantas atribuições e responsabilidades que requer um bebê, muitas vezes elas acabam esquecendo da posição de esposa. E os maridos ficam a ver navios.

Toda nova mamãe deseja ser a melhor mãe do mundo para seu filho. Algumas com mais jeito, outras meio desengonçadas, mas, com o tempo, todas acabam se tornando excelentes mamães. A rotina de uma mulher muda muito com a chegada de um bebê e, conseqüentemente, a vida do casal terá que se adaptar a essa mudança.

É preciso harmonia, comunicação e muita amizade entre ambos para se adaptarem à nova vida. A intimidade dos cônjuges não pode ser prejudicada, pois o bebê veio como bênção de Deus para somar tanto na vida do homem como na da mulher.

É preciso disciplina e muita sabedoria de Deus para manter uma casa limpa, organizar a rotina do bebê e ter tempo para o marido. Muitas mulheres executam suas tarefas durante o dia inteiro e à noite já não conseguem sequer conversar com seu marido, que dirá namorá-lo.

O assunto, embora pareça ser de pouca gravidade, tem destruído muitos casamentos, inclusive dentro do universo cristão. O relacionamento começa a esfriar, pois os maridos não compreendem o esgotamento de suas esposas, elas se sentem usadas, enfim, é preciso muito diálogo e cooperação nessa fase.
Muitas mulheres vítimas de depressão pós-parto ou de traumas no parto acabam se tornando superprotetoras do bebê e esquecem o marido.

Clara Jordânia, apesar de uma gravidez sadia e tranqüila, foi vítima de um parto complicado. Após o nascimento, a criança apresentou um quadro febril deixando Clara muito insegura. “Eu não tinha passagem, nem dilatação, e as contrações eram contínuas, por isso o bebê não nascia. Mas, mesmo com todas essas complicações, o parto foi normal”, disse. Ela conta que sua filha nasceu com uma cor amarelada e dois dias após sair da maternidade apresentava febre.

“Foram dias muito difíceis e eu ainda estava bastante fragilizada com as dores do parto. Não deixava ninguém pegar minha filha no colo” comenta. Segundo Clara, mesmo após a criança ser medicada e o resguardo ter acabado, a presença do marido lhe causava um certo desconforto.

“Eu o amava muito, mas a situação foi real. Comecei a perceber que minhas desculpas para mantê-lo distante de mim se tornaram uma rotina no nosso relacionamento” conta.

Clara relata o quanto esposas precisam vigiar nesse sentido. “Maridos não podem ser postos em 2º plano, eles são o 1º plano em nossas vidas. Quando despertei para o que estava acontecendo, assumi o meu papel de mulher, esposa e amante, e meu casamento voltou a ter harmonia” concluiu.

Maridos precisam entender que suas esposas são frágeis. A Bíblia diz isso: Igualmente vós, maridos, vivei com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais frágil.” (I Pedro 3:7)

Esposas precisam entender que maridos são o cabeça, mas não são de ferro. Eles precisam de atenção, carinho e não adivinham o que elas querem. A comunicação entre o casal é o maior empreendimento que podem fazer para alicerçar uma vida familiar segura e feliz

Anúncios

Deixe aqui seu comentário, ele é muito importante para nós !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: